Marketing em Igrejas e Organizações congêneres

Peter Drucker (Ícone da Administração de Empresas) e Philip Kotler (Ícone do Marketing) fizeram um bom trabalho em alcançar e incluir as organizações sem fins lucrativos no foco de suas expertises. “Eles traçam há anos as diretrizes básicas da teoria mercadológica e mostram a necessidade do uso do marketing pelas entidades sem fins lucrativos. A lacuna deixada passa a ser a forma, a maneira da adaptabilidade do marketing tradicional para as organizações do Terceiro Setor”*¹.
O Drucker tratou de convencer a todos do Terceiro Setor que sem marketing seria impossível viver. Já o Kotler edificou as bases do marketing para o Terceiro Setor, sobretudo quando escreveu o livro “Marketing para organizações que não visam lucro”. Eles nos convenceram que os objetivos das organizações não são iguais.
English: prof. Philip Kotler at Warsaw

English: prof. Philip Kotler at Warsaw (Photo credit: Wikipedia)

Não é pelo fato de serem “sem fins lucrativos”, isto é, não são empresas. Também não se trata do fato delas serem “não governamentais”. Elas fazem algo muito diferente das empresas do governo. As empresas fornecem bens e serviços. O governo controla. A tarefa de uma empresa termina quando o cliente compra o produto, paga por ele e fica satisfeito.
A partir daí, ficou por nossa conta dar continuidade ao marketing para as organizações sem fins lucrativos.
A instituição “sem fins lucrativos” não fornece bens ou serviços, nem exerce controle. Seu “produto” é um ser humano mudado. As instituições sem fins lucrativos são agentes de mudança humana. Seu “produto” é um paciente curado, crianças amparadas ou aprendendo; jovens transformados em adultos com respeito próprio, isto é, toda uma vida transformada.
Eu vejo um desdobramento ou divisão no segmento das organizações sem fins lucrativos. Refiro-me às organizações eclesiásticas e suas congêneres. Começa com as igrejas que são organizações cuja proposta é eminentemente religiosa e, na maioria das vezes, criam instituições voltadas às pessoas com suas necessidades físicas e sociais, mas com o seu componente religioso entranhado em suas atividades, dando a luz a mais um tipo de instituição.
Do ponto de vista do marketing, pensar cada uma dessas organizações e instituições considerando seus valores e princípios como as outras, mas incluindo também, suas “crenças” e como fazer isso funcionar a contento.
Em minha preparação, além do treinamento específico em administração e marketing para organizações sem fins lucrativos, também fui treinado para desenvolver o marketing das organizações sem fins lucrativos eclesiásticas cristãs e suas congêneres.
Meu propósito é tratar desse tema a partir desse texto, abordando vários itens importantes, a considerar nesse setor e como o marketing poderia ser desenvolvido nesse meio. Em minha primeira experiência, chamávamos o marketing de desenvolvimento para não chocar os crentes. Mas creio que, hoje, isso está superado e podemos tratar como marketing mesmo.
Ops: *¹Sydney Manzione em Marketing para o Terceiro Setor

Author: Lou H. Mello

Olha só, pessoal assíduo no meu blog profissional já está careca de saber quais são as minhas graduações e tentativas de pós, etc. Pessoalmente, dou pouco valor a tudo isso. É mais um mercado, apenas, onde as universidades acreditam ter o monopólio dos diplomas. Ledo engano. A ajuda é sempre muito relativa. Estudei a Bíblia e ainda o faço, dei aulas em várias escolas teológicas, até o pessoal encerrar minha carreira, nessa área. Acho que não me achavam adequado, sei lá. Legal mesmo, foi viajar por aí a pampa, com destaque à missão para a Albânia, em 1979 e países da África em 1981. Depois disso rodei muito pelos EUA e Europa, mas nada demais nisso. Tenho espírito missionário, acho, mas nos EUA estava mais interessado em fazer um pé de meia. Não deu certo. Mas aprendi muito por lá, onde há muito a aprender.
Atualmente, acalento o Projeto Corações Valentes e tento manter dois ou três clientes, aos quais presto consultoria na área de Desenvolvimento (Comunicação e Captação de Recursos), algo que aprendi com os norte-americanos, campeões nessa área, , sobretudo, com Dr. Dale W. Kietzman, meu mentor em marketing para organizações não lucrativas. Entretanto, e aos poucos, acho que estou de coisa com a mudança comportamental, de tanto buscá-la para mim mesmo. Culpado disso foi o Dr. Zenon Lotufo Jr, que investiu em minha pessoa, muito além do normal. Talvez 2017 me abra algumas portas nessa área,
Esse blog surgiu como a forma ideal para a prática de algo que sempre gostei muito de fazer, ou seja, escrever e me livrar dessa coisa interior que pressiona meu peito e pode me matar. Tenho alguns projetos de livros em andamento, quem sabe ainda edito um ou alguns deles, antes de fazer a travessia.
Gosto de escrever, de música, literatura em geral, educação, astronomia (minha segunda paixão secreta, Ih falei), educação física e, de vez em quando, dou um ou outro pitaco nessas áreas também. Sou o principal leitor de tudo que escrevo. Ter leitores sempre foi algo inimaginável, enfim.

Lou H. Mello

Olha só, pessoal assíduo no meu blog profissional já está careca de saber quais são as minhas graduações e tentativas de pós, etc. Pessoalmente, dou pouco valor a tudo isso. É mais um mercado, apenas, onde as universidades acreditam ter o monopólio dos diplomas. Ledo engano. A ajuda é sempre muito relativa. Estudei a Bíblia e ainda o faço, dei aulas em várias escolas teológicas, até o pessoal encerrar minha carreira, nessa área. Acho que não me achavam adequado, sei lá. Legal mesmo, foi viajar por aí a pampa, com destaque à missão para a Albânia, em 1979 e países da África em 1981. Depois disso rodei muito pelos EUA e Europa, mas nada demais nisso. Tenho espírito missionário, acho, mas nos EUA estava mais interessado em fazer um pé de meia. Não deu certo. Mas aprendi muito por lá, onde há muito a aprender.
Atualmente, acalento o Projeto Corações Valentes e tento manter dois ou três clientes, aos quais presto consultoria na área de Desenvolvimento (Comunicação e Captação de Recursos), algo que aprendi com os norte-americanos, campeões nessa área, , sobretudo, com Dr. Dale W. Kietzman, meu mentor em marketing para organizações não lucrativas. Entretanto, e aos poucos, acho que estou de coisa com a mudança comportamental, de tanto buscá-la para mim mesmo. Culpado disso foi o Dr. Zenon Lotufo Jr, que investiu em minha pessoa, muito além do normal. Talvez 2017 me abra algumas portas nessa área,
Esse blog surgiu como a forma ideal para a prática de algo que sempre gostei muito de fazer, ou seja, escrever e me livrar dessa coisa interior que pressiona meu peito e pode me matar. Tenho alguns projetos de livros em andamento, quem sabe ainda edito um ou alguns deles, antes de fazer a travessia.
Gosto de escrever, de música, literatura em geral, educação, astronomia (minha segunda paixão secreta, Ih falei), educação física e, de vez em quando, dou um ou outro pitaco nessas áreas também. Sou o principal leitor de tudo que escrevo. Ter leitores sempre foi algo inimaginável, enfim.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons