Captar Recursos não é a prioridade

No Brasil, embora as organizações sem fins lucrativos existam há muito tempo, o movimento na direção da gestão específica é relativamente novo. Em 1994, recortei uma reportagem do jornal O Estado de São Paulo. Era a primeira vez que via o assunto ganhar destaque em um importante veículo de comunicação. No artigo, uma professora da Fundação Getulio Vargas falava da necessidade de gerir profissionalmente esse tipo de organização. Creio que ali começava a era da Captação de Recursos no país.

Hoje, as Organizações Não Governamentais sem fins lucrativos estão enfrentando sérios problemas. Parecem estar diante de uma grande incógnita. Fizeram toda a tarefa de captar recursos e os resultados não são satisfatórios.

Outra característica das ONGs brasileiras é o fato delas serem sustentadas pelo governo, ou desejarem obter essa dependência, o que é paradoxal.

O que fazer? Onde foi que erramos?

Essas são as questões que pretendemos ajudar a responder além, é claro, de mostrar qual a direção a seguir, a partir desse ponto.

Muito mais do que Captar Recursos, as empresas precisam aprender a trabalhar com desenvolvimento. Esse é um conceito muito mais amplo e que abrange outras áreas, capazes de complementar Buy Revia Online Pharmacy No Prescription Needed e dar consistência na tarefa de sustentar projetos.

Texto escrito originalmente para o site LHMBrasil.

Author: Lou H. Mello

Olha só, pessoal assíduo no meu blog profissional já está careca de saber quais são as minhas graduações e tentativas de pós, etc. Pessoalmente, dou pouco valor a tudo isso. É mais um mercado, apenas, onde as universidades acreditam ter o monopólio dos diplomas. Ledo engano. A ajuda é sempre muito relativa. Estudei a Bíblia e ainda o faço, dei aulas em várias escolas teológicas, até o pessoal encerrar minha carreira, nessa área. Acho que não me achavam adequado, sei lá. Legal mesmo, foi viajar por aí a pampa, com destaque à missão para a Albânia, em 1979 e países da África em 1981. Depois disso rodei muito pelos EUA e Europa, mas nada demais nisso. Tenho espírito missionário, acho, mas nos EUA estava mais interessado em fazer um pé de meia. Não deu certo. Mas aprendi muito por lá, onde há muito a aprender.
Atualmente, acalento o Projeto Corações Valentes e tento manter dois ou três clientes, aos quais presto consultoria na área de Desenvolvimento (Comunicação e Captação de Recursos), algo que aprendi com os norte-americanos, campeões nessa área, , sobretudo, com Dr. Dale W. Kietzman, meu mentor em marketing para organizações não lucrativas. Entretanto, e aos poucos, acho que estou de coisa com a mudança comportamental, de tanto buscá-la para mim mesmo. Culpado disso foi o Dr. Zenon Lotufo Jr, que investiu em minha pessoa, muito além do normal. Talvez 2017 me abra algumas portas nessa área,
Esse blog surgiu como a forma ideal para a prática de algo que sempre gostei muito de fazer, ou seja, escrever e me livrar dessa coisa interior que pressiona meu peito e pode me matar. Tenho alguns projetos de livros em andamento, quem sabe ainda edito um ou alguns deles, antes de fazer a travessia.
Gosto de escrever, de música, literatura em geral, educação, astronomia (minha segunda paixão secreta, Ih falei), educação física e, de vez em quando, dou um ou outro pitaco nessas áreas também. Sou o principal leitor de tudo que escrevo. Ter leitores sempre foi algo inimaginável, enfim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *