Steve Jobs sabia como conduzir uma reunião: Eis como ele fazia isso

Aos 31 anos, Steve Jobs deixou a Apple e começou a NeXT. Esta é uma visão de uma reunião da empresa, e o que você pode aprender com ele.

Justin Bariso é o fundador e líder da Insight, uma grupo empresarial de consultoria que ajuda as organizações a melhorar a sua capacidade de trabalhar globalmente.

 

Fonte: INC

Steve Jobs

Brilhante. Passional. Arrogante. Impaciente.

Estilo de gestão de Steve Jobs tem sido descrito de muitas maneiras, tanto positivos quanto negativos. Amá-lo ou odiá-lo, não há como negar o que ele realizou: Dentro de um curto espaço de tempo, ele construiu a empresa mais bem sucedida no planeta.

Antes disso, porém, Jobs foi, na verdade, forçado a sair da Apple (em 1985). Poucos meses depois, ele fundou outra empresa. Esta startup, apropriadamente chamado NeXT , focada na produção de computadores de alta potência para a indústria do Ensino Superior. A talentosa equipe deixou posições seguras na Apple e seguiu com Jobs para seu novo empreendimento – prova de o quanto as pessoas acreditavam nele.

O vídeo a seguir mostra trechos de um retiro, da empresa que Jobs orquestrava, durante os três primeiros meses dela. E é fascinante.

 

 

Steve Jobs sabia como conduzir uma reunião: Eis como ele fazia isso. As aulas para os empresários são abundantes. Eu escolhi ressaltar oito pontos que eu sinto serem dignos de nota. (Também incluí o período de tempo a partir do vídeo entre parênteses.)

Aqui estão eles:

1. Mostre sua paixão (03:46)

Jobs era conhecido como um excelente apresentador, e suas habilidades estão em plena exibição no seu discurso introdutório. Ele usa a repetição bem. Ele está entusiasmado. Ele é natural. Mas o mais importante, ele acredita no que está dizendo, e não tem medo de expor-se.

Se você não apaixonar-se por sua ideia, ninguém mais o fará.

2. Concentre-se em criação de valor  (04:50)

Jobs: “Estamos fazendo isso porque nós temos uma paixão sobre isso … porque nós realmente nos preocupamos com o processo educacional mais elevado e não porque queremos fazer um dinheirinho.. 

Como um empreendedor, não há maior sensação do que fornecer um produto ou serviço com o qual as pessoas sentem que fará suas vidas melhor.

3. Desafie sua equipe (6:15)

Ao longo do vídeo, Jobs provoca e desafia o seu pessoal. Ele não aceita qualquer coisa pelo valor de face. Ele quer saber como  as pessoas sentem o jeito que eles fazerem. E, muitas vezes, ele permite que eles saibam exatamente por que ele não concorda.

Sim, Jobs poderia ser arrogante. Mas, como Guy Kawasaki (que trabalhou por Steve Jobs duas vezes) colocou:  “Se você perguntar a um empregado da Apple por que adaptar-se aos desafios de trabalhar lá, eles vão te dizer: porque a Apple lhe permite fazer o melhor trabalho de sua carreira “.

 

4. Mantenha todos no rumo (06:53)

Jobs: “É preciso que haja alguém que é o guardião e protetor da visão …. Muitas vezes, quando você tem que andar mil milhas e você dá o primeiro passo, ele se parece com um longo caminho, e realmente ajudará se houver alguém lá dizendo: “Bem, nós estamos um passo mais perto …. O objetivo definitivamente existe; não é apenas uma miragem lá fora ‘”

Como sua empresa evolui, é fácil perder de vista o que é importante. Mudança de cultura é um perigo.

Mas é a sua empresa. Não comprometa a coisas em que acredita. É o que fez Jobs ser expulso da Apple em 1985, mas também é por isso que eles o trouxeram de volta -. E o que fez da Apple um sucesso tão grande.

 

5. Definir as prioridades certas (07:26)

Enquanto a equipe discute suas prioridades, você pode testemunhar a notável capacidade de Jobs em se concentrar no que é mais importante, e ainda mais crítico, defender por que isso é importante.

Quando os membros da equipe desafiam a prioridade número 1 (mantendo o preço do computador de US $ 3.000), Jobs defende veementemente que:

“Eles não disseram que você fez isso ir três vezes mais rápido do que pagar $ 4.000 …. Eles disseram: ‘Vá para US $ 3.000 ou esqueça.” Esse é o seu número mágico …. Ninguém mais diz se eles podem fazer isso …. Se é ou não, a realidade, quem sabe. Se é ou não, em termos de seu compromisso em empurrar-nos, nós estabelecemos isso. ”

A equipe seguiu seu exemplo, e o preço ficou sendo a prioridade número 1.

Você sabe o que é importante, mas você pode provar por que isso é importante? Se assim for, então a sua equipe vai conseguir.

 

6. Saiba quando interromper (09:52)

Uma moça membro da equipe resolve fazer um discurso. Ela continua e continua, e Jobs permanece paciente … em primeiro lugar. Mas, como ela continua sem parar, a paciência se esgota. Ele interrompe e muda o foco.

Muitos anos atrás, eu participei de uma reunião em que um membro sênior da equipe falou por 20 minutos sem interrupção. Estávamos todos pensando a mesma coisa, mas ninguém teve a coragem de interromper.

Finalmente, um outro gerente (que era novo para a empresa) respeitosamente pôr fim ao discurso, para alívio de todos. Eu aprendi muito com esse episódio.

Seja um bom ouvinte. Seja paciente. Mas saiba quando intervir, e você vai economizar muito tempo e recursos.

7. Aprenda com o passado, mas não deixe que ele possua você (11:11)

Quando um membro da equipe lamenta as falhas do passado, Jobs fala:

 Eu não quero ouvir ‘Só porque não soubemos lidar com ela da última vez, nós a explodiremos desta vez …. “Esta é uma nova janela que temos … e é uma janela maravilhosa. 

Qualquer grande empresário sabe que o fracasso é parte do processo. Quanto mais você tenta, mais você falha – mas o sucesso está lá fora. Você apenas tem que encontrá-lo.

8. Foco no positivo (12:22)

No final do retiro de fim de semana, Jobs disse o seguinte:

 Eu me vejo fazendo listas de coisas que não sabemos, e, em seguida, eu lembro que nossa empresa tem apenas 90 dias de idade. Se eu olhar para trás, para todas as coisas que nós fizemos, é realmente fenomenal quão longe nós viemos em 90 dias. 

Quando você tem um longo caminho pela frente, pode ser levado a concentrar-se no que perdeu. Sempre haverá muito o que fazer.

Lembre-se de olhar para trás, no que você já realizou, e que pode lhe dar a motivação que você precisa para avançar.

Essas são oito pontos que eu senti serem valiosos. E você? Certifique-se de comentar ou compartilhar essa conversa. Você também pode tweetar me  usando @LouMello_ ou entrar em contato comigo via aba contato & reservas  e me contratar para fazer a palestra que inclui esses ensinamentos na sua empresa, organização não lucrativa ou onde desejar. 

Tradução: Lou Mello

031915_0403_Sabespeempr2.jpg

Author: Lou H. Mello

Olha só, pessoal assíduo no meu blog profissional já está careca de saber quais são as minhas graduações e tentativas de pós, etc. Pessoalmente, dou pouco valor a tudo isso. É mais um mercado, apenas, onde as universidades acreditam ter o monopólio dos diplomas. Ledo engano. A ajuda é sempre muito relativa. Estudei a Bíblia e ainda o faço, dei aulas em várias escolas teológicas, até o pessoal encerrar minha carreira, nessa área. Acho que não me achavam adequado, sei lá. Legal mesmo, foi viajar por aí a pampa, com destaque à missão para a Albânia, em 1979 e países da África em 1981. Depois disso rodei muito pelos EUA e Europa, mas nada demais nisso. Tenho espírito missionário, acho, mas nos EUA estava mais interessado em fazer um pé de meia. Não deu certo. Mas aprendi muito por lá, onde há muito a aprender.
Atualmente, acalento o Projeto Corações Valentes e tento manter dois ou três clientes, aos quais presto consultoria na área de Desenvolvimento (Comunicação e Captação de Recursos), algo que aprendi com os norte-americanos, campeões nessa área, , sobretudo, com Dr. Dale W. Kietzman, meu mentor em marketing para organizações não lucrativas. Entretanto, e aos poucos, acho que estou de coisa com a mudança comportamental, de tanto buscá-la para mim mesmo. Culpado disso foi o Dr. Zenon Lotufo Jr, que investiu em minha pessoa, muito além do normal. Talvez 2017 me abra algumas portas nessa área,
Esse blog surgiu como a forma ideal para a prática de algo que sempre gostei muito de fazer, ou seja, escrever e me livrar dessa coisa interior que pressiona meu peito e pode me matar. Tenho alguns projetos de livros em andamento, quem sabe ainda edito um ou alguns deles, antes de fazer a travessia.
Gosto de escrever, de música, literatura em geral, educação, astronomia (minha segunda paixão secreta, Ih falei), educação física e, de vez em quando, dou um ou outro pitaco nessas áreas também. Sou o principal leitor de tudo que escrevo. Ter leitores sempre foi algo inimaginável, enfim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *